8 de junho de 2011

"Prato saudável": EUA substitui a clássica pirâmide alimentar

Com uma figura simbolizando um prato dividido em quatro partes coloridas e um copo, os Estados Unidos sugerem a substituição da pirâmide alimentar americana. A proposta visa auxiliar os consumidores a decidirem o que colocar no seu prato para seguir uma alimentação saudável aplicável no dia-a-dia.

Segundo o Departamento de Agricultura, a pirâmide "estava fora de moda e era muito complicada" para os cidadãos, que reclamavam de receber informação contraditória, mas ela continuará disponível para os profissionais da área de saúde.

O prato é dividido em quatro partes coloridas de diferentes tamanhos, que representam os grupos e quantidades. Veja abaixo:
Fonte: United States Department of Agriculture
O vermelho representa as frutas, o verde representa os legumes, o laranja os grãos, o roxo as proteínas e, um circulo separado em azul, representando os laticínios.


O "My Plate", como foi denominado, sugere o aumento do consumo do frutas e verduras, que devem ocupar metade do prato. Os grãos, representando os carboidratos, devem ser preferencialmente os integrais e deve compor pelo menos metade do consumo diário. As proteínas devem ser opções magras e o com maior consumo de frutos do mar. Nesta divisão também estão as leguminosas, como feijão, lentilha e soja, que também aparecem no grupo dos vegetais.

Já os leites e derivados, apesar de serem também fontes protéicas, aparecem separados e são estimulados a serem consumidos diariamente. Devem ser preferencialmente os desnatados ou com baixo teor de gorduras, além do incentivo no aumento do consumo de produtos enriquecidos com cálcio, como produtos a base de soja.

Ainda há um estimulo para que se evite excessos, consuma menos alimentos com "calorias vazias" (alimento que oferecem pouco ou nenhum nutriente) como açúcares e gorduras, além de menos fast food e sódio. Também é reforçado o aumento na pratica de atividade física.

No site ainda é possível encontrar receitas, informativos, cartilhas e outros materiais para educação alimentar, já que também há um incentivo ao uso da internet para levar as informações à população.


Vale lembrar que as recomendações de porções não substitui um plano alimentar que deve ser individualizado, de acordo com as necessidades, estado de saúde atual, entre outros aspectos avaliados em uma consulta pelo nutricionista.






4 comentários:

  1. Acho que tudo é valido para estimular uma alimentação saudável, mas sempre lembrando que é fundamental procurar um profissional capacitado (nós Nutricionistas) para ajudar ainda mais a ingestão de alimentos saudáveis, pois cada individuo tem suas necessidades e o mais importante suas peculiaridades, onde se faz mais necessário ainda as orientações que este profissional tem a oferecer.
    Evelyn (Nutricionista)

    ResponderExcluir
  2. É isso ai Evelyn!! Super apoiado!!

    ResponderExcluir
  3. Obrigada Karine!! E voltem sempre!!

    ResponderExcluir